Fertilidade feminina: o que é e como pode ser afetada?

04/06/2019

A fertilidade feminina, a exemplo do que ocorre com a masculina, é complexa e depende de uma série de fatores para que a mulher possa engravidar.

No entanto, algumas condições podem afetá-la, provocando uma redução nas chances de gravidez.

Atualmente, sabemos que tanto homens como mulheres podem ser inférteis, portanto a investigação de ambos é necessária em caso de infertilidade.

No texto de hoje, abordarei como a fertilidade feminina pode ser afetada.

O sistema reprodutor feminino e o seu funcionamento

O sistema reprodutor feminino é formado principalmente pelos ovários, que são responsáveis pela produção dos folículos e óvulos, tubas uterinas, que transportam os óvulos do ovário até o útero, e o útero, onde o embrião se desenvolve em caso de fecundação.

Também fazem parte do sistema reprodutor feminino o canal e o introito vaginal, por onde os espermatozoides acessam o sistema reprodutor no percurso até o óvulo.

Ovários

Os ovários são considerados órgãos sexuais de origem primária. São eles que produzem os óvulos e hormônios sexuais femininos – progesterona e estrogênio.

A camada externa dos ovários recebe o nome de córtex e é repleta de óvulos imaturos, que são chamados de folículos primários. Seu desenvolvimento só se completa durante o processo de ovulação, para que posteriormente possam ser fecundados por um espermatozoide.

Tubas uterinas

As tubas uterinas são responsáveis por levar os óvulos maduros dos ovários até o útero e isso ocorre devido à presença de estruturas ciliadas que se fazem presentes por toda a estrutura. O transporte dos óvulos é feito com o auxílio de contrações musculares programadas.

A maioria dos casos de gravidezes ectópicas ocorrem nas tubas uterinas em virtude de diversos fatores.

Útero

O útero se localiza na porção final do canal vaginal e está diretamente ligado às tubas uterinas. Anatomicamente, ele está situado na cavidade pélvica, na parte posterior da bexiga e anterior ao reto.

Todo o interior do útero é revestido por um tecido altamente vascularizado formado por três camadas distintas: camada serosa (que determina o perímetro do órgão), miométrio (camada muscular) e endométrio (camada interna).

O endométrio é a camada responsável pela espessura das paredes do útero.

O endométrio possui participação importante durante a ovulação. Mensalmente ele se torna mais espesso com a finalidade de receber o óvulo fecundado. Caso a fecundação não ocorra, o endométrio que se desenvolveu para futuro desenvolvimento do bebê é eliminado durante a menstruação.

Como investigar a fertilidade feminina?

A fertilidade feminina pode ser investigada por diversos tipos de exames, principalmente físico, de sangue e de imagem.

O exame físico é fundamental para identificar uma série de alterações presentes no corpo feminino que possam ser causa ou indício de infertilidade.

Os exames de sangue visam avaliar os níveis hormonais, pois alterações nos valores podem comprometer a fertilidade feminina.

Além disso, exames de imagem, como ultrassonografia e histeroscopia, também podem diagnosticar alterações que podem afetar a fertilidade feminina.

O que pode afetar a fertilidade feminina?

Entre os principais fatores que podem afetar a fertilidade das mulheres estão:

  • Alterações hormonais;
  • Problemas (principalmente doenças) em ovários, tubas uterinas e útero;
  • Estilo de vida;
  • Idade.

Alterações hormonais

Alterações hormonais são as principais causas de infertilidade nas mulheres.

Quando ocorre algum tipo de anormalidade nos níveis de hormônios, as mulheres podem desenvolver alterações fisiológicas como anovulação, síndrome dos ovários policísticos e diminuição do período de fase lútea, diminuindo as chances de gravidez.

Problemas em ovários, tubas uterinas e útero

Doenças e o desenvolvimento de problemas físicos nessas estruturas também diminuem as chances de uma mulher engravidar.

Entre as alterações físicas mais comuns nessas regiões que diminuem a fertilidade feminina estão a endometriose, o endometrioma, miomas uterinos e até mesmo infecções, como as causadas por clamídia e outros agentes invasores.

Estilo de vida

O estilo de vida da mulher também pode colaborar para a diminuição dos seus níveis de fertilidade.

O abuso de uma dieta pobre em nutrientes, com o predomínio de açúcares e gordura de má qualidade, assim como o consumo de álcool e o tabagismo, colaboram para diminuição da fertilidade.

Idade

Com o passar do tempo, a mulher sofre uma redução natural da reserva ovariana, levando à infertilidade. Em alguns casos, essa redução pode ter início mais cedo, condição chamada de menopausa precoce, o que diminui significativamente as chances de fecundação e gravidez.

Tratamentos para infertilidade feminina

Embora possa parecer um problema de difícil solução, a infertilidade pode ser totalmente reversível e o tratamento vai diretamente de encontro com as causas do problema.

Para as mulheres que são inférteis em razão de alterações hormonais, a reposição hormonal é geralmente a melhor indicação.

Cada doença requer uma investigação específica e detalhada para avaliar qual a melhor conduta.

Em alguns casos é possível realizar a FIV sem a necessidade de tratamento, enquanto em outros é preciso um tratamento rigoroso, que pode ser medicamentoso ou cirúrgico.

Os casais que mantêm uma dieta pobre em nutrientes podem procurar também um especialista e melhor sua alimentação, que influencia diretamente a fertilidade.

A FIV pode melhorar as taxas de gravidez

A FIV é uma técnica de alta complexidade capaz de superar praticamente todos os problemas de infertilidade, tanto masculinos como femininos.

É possível, inclusive, utilizar um útero de uma parente de até 4º grau para realizar a gestação, caso a mulher não tenha o órgão ou haja não possa ter filhos por alguma razão. Como cada organismo é único, a forma como o procedimento é realizado varia de casal para casal.

Outro fator que contribui para aumentar as chances de sucesso da FIV é a possibilidade de realização de técnicas complementares.

Se o casal tiver alterações genéticas, por exemplo, os embriões formados poderão ser analisados, assim somente os saudáveis são transferidos ao útero para dar início à gravidez. Outras técnicas são o teste de receptividade endometrial, congelamento de gametas e embriões, entre outras.

Compartilhe esse conteúdo nas redes sociais e faça com que mais pessoas saibam sobre a fertilidade feminina.

Compartilhe nas redes sociais!